História

A Federação Portuguesa das Associações das Famílias de Pessoas Com Experiência de Doença Mental,  organização de âmbito nacional, sem fins lucrativos e sede em Lisboa, surge pela vontade expressa de Associações de Famílias de Pessoas Com Doença Mental, sedeadas em várias regiões do país, pela necessidade de fazerem ouvir a sua voz de forma organizada, na defesa dos seus direitos e legítimos interesses, na promoção de melhores condições de vida, de  saúde e de bem-estar e assumir-se parceira social na definição de políticas que visem o apoio e acompanhamento das famílias e o tratamento, reabilitação e inclusão dos seus familiares com doença mental.

Estatutariamente, tem como finalidade genérica, contribuir para a implementação de medidas que contribuam para a melhoria da qualidade de vida e de bem-estar, das famílias e das pessoas com experiência de doença mental e representa as associações filadas junto dos órgãos de soberania nacionais e em organizações e instituições congéneres, de nivel nacional e internacional, na prossecução dos seus objetivos.

Cronologicamente, a FamiliarMente:

Fez a outurga da escritura de constituição, em 31 de março de 2015;

Elegeu os primeiros órgãos sociais para o quadriénio 2015 / 2018, em 16 de maio de 2015;

Passou a integrar, em maio de 2015 e em representação das famílias de pessoas com doença mental, a Comissão Consultiva para a Participação de Utentes e Cuidadores da Direção do Programa Nacional para a Saúde Mental;

Realizou o primeiro encontro nacional das famílias, a 20 de maio de 2016;

Aderiu à EUFAMI, Federação Europeia das Associações das Famílais Europeias, em junho de 2016;

Foi ouvida, pela primeira vez, na Comissão Parlamentar de Saúde da Assembleia da República, em 8 de junho de 2016;

Lançou uma Petição Pública “URGENTE, Orçamento e Respostas para a Saúde Mental”, em 12 de outubro de 2016, entregue na Presidência da Assembleia da República, em 11 de novembro de 2016;

Foi nomeada Membro do Conselho Nacional de Saúde, pela Assembleia da República, em 11 de maio de 2017;

Foi ouvida em audiência pelo Senhor Presidente da República, em 15 de maio de 2017;

Realizou o segundo encontro nacional das famílias, em 17 de maio de 2017;

Da apreciação da Petição Pública, resultou a aprovação da Resolução da Assembleia da República nº 213, de 11 de agosto de 2017;

Em novembro de 2017, passou a integrar o Conselho Regional de Saúde Mental da ARS de Lisboa e Vale do Tejo;

Realizou o teceiro encontro nacional das famílias a 28 de setembro de 2018;

Realizou o quarto encontro nacional das famílias a 23 de maio de 2019;

Foi nomeada, por despacho ministerial, para integrar a Comissão de Acompanhamento de Execução do Regime do Internamento Compulsivo,  para o triénio 2020/2023;

Foi nomeada, por despacho ministerial, para integrar a Comissão de Revisão da Lei de Saúde Mental, em junho de 2020.